5 de abr de 2010

UFRGS: de que lado do Parque você vai?

A última semana esteve agitada em todos os campi da Universidade. As Calouradas lado B – O outro lado do Parque, promovidas pelo Fórum por um Projeto Alternativo de Parque Tecnológico para a UFRGS, aprofundaram ainda mais as discussões sobre os rumos da nossa Universidade. Os debates abordaram temas como a produção, financiamento e distribuição da pesquisa no Brasil; tecnologia social e novas formas de produção; universidade pública e o acesso ao conhecimento; além da apresentação pública do projeto do Parque realizada pelos Diretórios Acadêmicos da Educação Física e Pedagogia em frente às suas unidades, o debate na “Mateada do CECS” – promovida pelo Coletivo de Estudantes de Ciências Sociais e a Assembléia de Estudantes do IFCH, que reuniram centenas de pessoas. .


O encerramento não poderia ser melhor. A comunidade acadêmica e externa assistiram um debate e tanto no Salão Nobre da Faculdade de Direito na quarta-feira à noite. Representando o projeto oficial do Parque Tecnológico, compuseram a mesa os professores José Carlos Frantz (Instituto de Geociências), Paulo Eduardo Mayorga Borges (Faculdade de Farmácia) e o Pró-Reitor de Pesquisa, Prof. João Edgar Schmidt. Pelo Fórum por um Outro Parque compuseram a mesa de debates o Professor Jorge Quillfeldt (Biociências) e o companheiro Marciano Toledo da Silva, do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA).

Marciano iniciou sua intervenção pedindo um minuto de silêncio em homenagem aos mortos pela ditadura militar brasileira, que na última quarta-feira completou 46 anos. Ressaltou a importância da UFRGS abrir suas portas para que os movimentos sociais participem da definição de seus rumos, contemplando seu caráter público e democrático.

Os defensores do projeto oficial preocuparam-se em apresentar informações e dados que ainda não constam na versão que tramita no CONSUN, talvez para desviar a atenção das insuficiências contidas no texto atual. Enquanto isso, os debatedores do Fórum por Outro Parque atraíram a atenção dos presentes para os seus pontos críticos.


O professor Quillfeldt (foto ao lado) fez uma exposição brilhante, que vale a pena ser conferida no vídeo que disponibilizaremos nas próximas horas, na qual demonstra como é recorrente a confusão entre o público e o privado, e qual a lógica que permeia cada um desses âmbitos.

Ao final, o Fórum presenteou o Reitor Carlos Alexandre Netto com uma das camisetas da campanha “Protesto Não é Crime!”. A preocupação com o clima de tensão e a onda de repressão das últimas semanas foi manifestada pelo estudante de Ciências Sociais, Glauco Araujo, que disse esperar “que no próximo dia 9, esses fatos lamentáveis não se repitam”.


Mas a agenda dessa semana não para por aí. Amanhã (terça) às 17h30 ocorre o já tradicional “Chimarrão Consciência”, promovido pelo Diretório Acadêmico Independente da Biologia (DAIB), dessa vez para discutir o projeto do Parque. A atividade será no Auditório da Botânica e terá a participação do Professor Paulo Brack.

Na quarta-feira é a vez do Centro Estudantil de Relações Internacionais (CERI) promover o primeiro encontro de seu Grupo de Trabalho: “PARQUE TECNOquê que eu tenho a ver com isso?”. Segundo o CERI, trata-se de um “espaço dinâmico de discussão entre os alunos”, cujo objetivo é “estimular a reflexão sobre temas que normalmente não estão presentes em sala de aula, mas que são tão importante quanto”. A atividade ocorre às 17h, em frente à sede do CERI (Faculdade de Ciências Econômicas).

Em seguida, é a vez do GARRA (Grupo de Apoio a Reforma Agrária) convidar a comunidade acadêmica para mais uma edição do CineGARRA. Colaborando com a discussão do Parque Tecnológico, o grupo irá exibir e debater os filmes “A História das Coisas” (21min) e “Agroecologia – Ciência e Movimento Social” (22 min). Será às 18h no Auditório da Economia.

E não esqueça: sexta-feira é a votação do mérito do Parque no Conselho Universitário. De que lado do Parque você vai? Estaremos em concentração desde às 8h na frente da Reitoria. Apareça!

Um comentário:

Paula disse...

O JORGE É FODA!